Aluno da Católica desenvolve pesquisa sobre irrigação


918  30 de janeiro de 2022

A irrigação automatizada não é novidade nas propriedades rurais. Com o passar do tempo se tornou uma aliada dos agricultores, principalmente em períodos de estiagem. Mas como levar água às demandas agrícolas minimizando os impactos ambientais? Foi em busca dessa resposta que o aluno do 9° semestre do curso de Engenharia de Computação da Universidade Católica de Pelotas(UCPel), Matheus Gonçalves Stigger, desenvolveu a pesquisa intitulada “Intelligent Internet Watering Automatic Control” (I2WAC). A proposta quer ajudar na tomada de decisões de irrigação automatizada e ao mesmo tempo minimizar impactos no uso da água.

A partir de relatos de especialistas sobre como decisões inadequadas podem resultar em desperdício de água e até prejudicar o desempenho da irrigação, o acadêmico foi motivado a estudar uma proposta inovadora. Stigger explica que a pesquisa explora a “Ciência de Situação” para decidir a necessidade ou não de realizar a irrigação, contribuindo com os agricultores que buscam alternativas capazes de proporcionar o uso mais consciente e eficaz da água.

Em que consiste a pesquisa

O acadêmico da Católica desenvolveu uma proposta de hardware/software que une tecnologias IoT (Internet das Coisas) e um serviço de previsão climatológica. Stigger explica que com base nos dados de previsão do tempo, a proposta desenvolvida, denominada I2WAC, avalia a necessidade de irrigação através de um algoritmo computacional. “Na I2WAC a decisão de realizar a irrigação é baseada nos dados de previsão de chuva e sua intensidade, tanto das 12h anteriores, como das 12h seguintes”, afirma o discente. O desempenho do protótipo da I2WAC foi avaliado durante 90 dias, totalizando 180 procedimentos de sensoriamento e tomada de decisão, realizados duas vezes ao dia. Segundo o acadêmico, no universo das 180 tomadas de decisão a partir das indicações feitas pela I2WAC, houve uma taxa de acerto de aproximadamente 94% quanto à decisão de irrigação.

Experiência para o futuro

O trabalho foi realizado durante um ano, tempo de duração da Bolsa de Iniciação Científica do aluno junto ao Grupo de Pesquisa em Processamento Paralelo e Distribuído (G3PD) da UCPEL, grupo formado por alunos e docentes do Mestrado de Engenharia Eletrônica e Computação (MEEC) e do curso de Engenharia de Computação. A pesquisa foi destaque no Salão Universitário da UCPel em 2021.

Segundo o orientador do trabalho, professor Adenauer Yamin, ao fazer parte do G3PD o acadêmico trocou  experiências com pesquisadores, promovendo o aprendizado de técnicas e métodos científicos. A imersão no grupo de pesquisa também estimulou o desenvolvimento do pensamento analítico e da criatividade. “A busca sistematizada de alternativas que a Iniciação Científica propicia, bem como a sua avaliação à luz de uma metodologia consolidada, constitui um fator que contribui fortemente na consolidação de uma prática profissional inovadora e alicerçada por critérios maduros”, destaca o docente.

Como continuidade da pesquisa, a perspectiva é que a I2WAC seja testada ao longo das 4 estações do ano, para medir a diferença no consumo de água ao longo de diferentes condições climáticas. Também será avaliado o emprego de técnicas de Aprendizado de Máquina, para aumentar a taxa de acerto referente a necessidade de irrigação. 

 

Redação: Alessandra Senna